Consultoria Financeira: o desafio das empresas familiares
Notícias

Mesmo com gestões cada vez mais profissionais, as empresas familiares, por vezes, precisam do apoio de uma consultoria financeira na administração do seu negócio

Nove em cada dez empresas brasileiras são familiares, indicam os dados do Sebrae. Essas empresas contam com características peculiares, como a capacidade de tomar decisões rápidas, algo muito importante no dia a dia. No entanto, essa flexibilidade – uma característica positiva nos dias de hoje – pode ser maléfica e gerar dificuldades para atingir os resultados esperados, demandando a necessidade e o apoio de uma consultoria financeira para reduzir os custos de gestão, tornar os processos mais eficientes e incrementar os resultados.

Uma pesquisa conduzida pela PWC com quase 2,4 mil empresas familiares de 40 países, com faturamento entre US$ 5 milhões e US$ 1 bilhão, mostrou alguns dos cenários e dificuldades enfrentadas em um cenário global. Realizada com dados de 2014, o estudo já antecipava as dificuldades econômicas vividas pelo Brasil em 2015 e em 2016. Nesse contexto, apenas 10% dessas companhias brasileiras pretendiam crescer dentro dos próximos cinco anos, um índice inferior à média global de 15%.

O que é uma empresa familiar?

Segundo a PWC, para ser considerada familiar, uma empresa deve preencher um dos três critérios abaixo:

1 – Quando o fundador detém a maioria dos votos em um conselho administrativo.

2 – Pelo menos um representante da família está envolvido na gestão da empresa.

3 – Em caso de empresas com capital aberto, o fundador possui 25% do direito a voto por meio de sua participação acionária e há pelo menos um membro da família no Conselho Administrativo.

Uma das consequências sofridas pelas empresas com a pressão econômica é a necessidade de repensar a estratégia de negócios como um todo. Mas, neste caso específico das empresas familiares, as decisões profissionais acabam gerando outros tipos de tensões. De acordo com a pesquisa, as preocupações a respeito do negócio superam as questões pessoais, fazendo com que a continuidade do negócio a longo prazo e a melhora de rentabilidade apareçam como as principais preocupações para os gestores atuais.

Neste contexto, ter o suporte de uma consultoria financeira, especialmente quando os resultados estão abaixo do esperado e dentro de um contexto econômico desfavorável, pode ser um bom caminho para as empresas familiares, visto que a análise feita pela consultoria empresarial está deslocada do contexto familiar. Com dados comparativos para o desempenho dentro do segmento de atuação, a empresa pode analisar a performance em diferentes setores e receber um diagnóstico preciso, que a coloque dentro do rumo do crescimento novamente.

Outro benefício da consultoria financeira diz respeito à profissionalização das empresas, com a sugestão de melhorias e, sobretudo, a criação de um planejamento estratégico específico para os próximos anos. Dessa forma, independente do gestor, a empresa tem em mente qual o caminho será percorrido, após uma decisão tomada em conjunto entre os membros dos comitês administrativos.